All posts tagged: dormir

Imaginação, treino e o grande tesouro da vida.

Normalmente ao deitar, depois das rotinas todas, lemos uma história ou outra, mas depois apagamos a luz, senão não dormem. Como mesmo assim nem sempre adormecem, eu normalmente continuo a contar histórias, mas desta vez inventadas, como o João me pede. A Beatriz por ela, eu contava em loop, os 3 Porquinhos, a Capuchinho e os 7 Cabritinhos e por esta ordem. Já contei tantas vezes que já as sei contar a dormir. Já faço isto há tanto tempo que acabei por me tornar pró a contar histórias inventadas. Não há modéstia nenhuma, aviso já. Às vezes penso mesmo que devia estar a gravar o que conto, pois valeria a pena um dia escrever um Livro baseado nestas pequenas histórias. Normalmente são sobre animais que eles lá escolhem, mas podem ser de outras coisas, com princípio, meio, fim e enredos bem elaborados. Agora nas férias conto a dobrar, na hora da sesta e à noite. Então, depois de esgotar os animais e as diversas situações, pensei, porque não contar uma história baseada numa história que …

Fins de semana maravilhosos!

Malditos fins de semana que só vem para enganar…   Andamos nós toda a semana a suspirar por estes dois dias e depois eles chegam e é só para nos desesperarmos ainda mais. Não conseguimos fazer nada do que queríamos nestes míseros dois dias. De repente é Sábado de tarde. E logo o Domingo de manhã já passou e é Domingo à noite. E já estamos nós a pensar na linda e bela Segunda-feira e a suspirar, enganados mais uma vez por aqueles outros dois dias que lá vêm e que vão passar num piscar de olhos…  

O que nos vai afectar não dormirmos?

Os meus bebés nunca dormiram a noite toda seguida. Desde bebés que acordavam 3-4 vezes durante a noite. Ainda hoje em dia eles acordam a meio da noite várias vezes por semana. E o que nos fazem tantas noite e noites em claro, sonos interrompidos? Tarefas e cuidados noturnos que pesam de dia. Porque de dia não há compensação para as horas perdidas de sono. A clareza de espírito e mesmo as capacidades mentais ficam muiiito afetadas. Raciocínios básicos, coisas óbvias, soluções simples que não se conseguem ter. Até as memórias das coisas simples se vão. Em casa, nem sequer nos lembramos do lugar das coisas. Não se finalizam as tarefas. Começamos a fazer uma coisa, aquelas coisas que nós fazemos encadeando tarefas umas nas outras para “fazer mais coisas em menos tempo”, mas ficamos a meio, pois já não temos a mais pequena ideia sequer do que íamos fazer a seguir. Muitas vezes encontramos coisas em sítios completamente inesperados. E pensamos, “… mas como é que isto veio aqui parar?” Imaginem uma peça de roupa no lixo ou a …