A preferência pelo mais natural. Óleos essenciais.

Se eu juntar as facturas de consultas, as receitas e as contas da farmácia dos últimos 6/7/8 meses não vou ter grande surpresa, pois já sei que quase todos os meses tivemos pelo menos uma consulta no médico, uma ida às urgências, compras da farmácia e uso de anti-inflamatórias antibióticos, cremes, etc. nos meus filhos.

Em Maio recebi o kit da doTerra com 10 óleos essenciais, cada um com a sua característica, função e aplicabilidade.

Na primeira febre usei-os. Na segunda também. E na terceira também.

Uso diariamente um deles como prevenção e reforço do sistema imunitário. Quando pressinto que algo está menos bem com eles, reforço aplicando um ou outro óleo.

Estamos no fim de julho. E que ninguém esteja a ouvir isto para isto não se voltar contra mim (nós);

Mas em Maio, em Junho e em Julho que ainda falta terminar, não temos nenhuma ida às urgências, nenhuma ida ao médico (fora rotina), nem uma ida à farmácia.

Nada de narizes congestionados, nada de tosses, nada de otites, nada de vírus.

E que assim se Mantenha! 🙏

Muito feliz com a minha escolha e por ter seguido o meu instinto.

Mais info aqui

Aromaterapia – as primeiras 4 dúvidas.

Em resposta a várias dúvidas e pedidos que me foram fazendo, vou tentar explicar melhor isto da Aromaterapia.

Porquê que estes são diferentes?

Porquê que tem qualidades terapêuticas?

Porquê que estes se podem ingerir?

Podem-se usar nas crianças?

São estas as perguntas que mais me fizeram depois de partilhar aqui e não só, a minha experiência com os Óleos Essenciais.

Bom, eu como a maioria das pessoas já ouviu falar mais ou menos de Aromaterapia, e assim por cima, sabíamos que eram aromas que de alguma forma fariam a pessoas ficar mais bem-dispostas, animadas, relaxadas, mas não mais do que isto. Certo?

Mas a verdade é que os óleos essenciais podem melhorar a disposição,  acalmar os sentidos e originar respostas emocionais poderosas e muito mais além do que aquilo que possamos imaginar.

Começo por responder, porquê que estes Óleos Essenciais da doTerra são diferentes.

  • São óleos essenciais 100% puros. São produzidos dentro de padrões elevados de qualidade, pureza e segurança da indústria—CPTG Certified Pure Tested Grade™. Assim representam a forma mais segura é benéfica disponível de usar os óleos hoje em dia.
  •  São extraídos de sementes, cascas, caules, raízes, flores e outras partes de plantas, através de processos de extração controlados.

As qualidades terapêuticas devem-se:

  • A uma seleção muito minuciosa das espécies vegetais corretas e a colheita das plantas no momento certo, principalmente quando os seus compostos de óleos essenciais estão na concentração máxima das plantas.
  • Não contêm aditivos, nem ingredientes artificiais que diluam as suas qualidades ativas e estão livres de contaminantes ou quaisquer outros resíduos químicos.

Por isso ao adquirirem Óleos, convém verificar se os óleos são puros, naturais e livres de componentes sintéticos ou contaminação destes.

Estes óleos podem ser ingeridos.

A maioria destes óleos podem ser ingeridos. Mais uma vez como são 100% puros, extraídos de frutos ou plantas, podem perfeitamente ser ingeridos embora convém mais uma vez seguir instruções de uso para cada caso. Existe na embalagem de cada óleo, uma bula que menciona se um é óleo possível de ser ingerido ou não. Depois há os que são apenas para uso tópico ou difusão.

São cada vez mais populares na área da Culinária.

Sim, pode-se usar em Crianças e pessoas com sensibilidade.

Mais uma vez os óleos são puros e naturais por isso não haveria como fazer mal às crianças ou a pessoas com sensibilidade, no entanto há advertências.

Como estamos a falar de óleos 100% puros eles têm uma elevada concentração, então convém que sejam aplicados com bastante diluição. Existem tabelas de Diluição que podem ser consultadas específicas para crianças.

 

Variadas utilizações:

Os óleos essenciais são usados para uma gama alargada de aplicações para o bem-estar emocional e físico. Podem ser usados individualmente ou em mistura de óleos complexas, dependendo da experiência do utilizador e do benefício desejado. Os óleos essenciais são geralmente aplicados de uma de três maneiras:

Difundido aromaticamente,

Aplicado topicamente na pele

Tomado internamente como suplemento alimentar.

Como começar?

Como no início se pode tornar um pouco confuso com a oferta de tantos óleos a marca propõe iniciar com o trio maravilha do qual compõe:

Lavanda – Limão  –  Peppermint

Com estes 3 super óleos já é possível resolver uma data de situações para a base de um ambiente familiar saudável.

 

Quando aplicados na quantidade certa, no local devido e com a frequência correta estes óleos ajudam efetivamente num sem número de situações e problemas de uma formal natural sem danificar a saúde e o organismo.

 

Para mais informações enviar e-mail para:

Contato

«Texto elaborado com apoio em informação facilitada pela doTERRA.»

 

Iniciação à Aromaterapia

Aromaterapia, as nossas primeiras experiências.

E venha de lá o Verão!!!

Estamos na minha estação preferida – o Verão!

A Primavera tambem é gira, o Outono tem a sua graça, mas é no Verão que um escorpião – água com ascendência em caranguejo também àgua – se sente bem.

Claro que vivendo na cidade do Porto temos mais manhãs frias e de nevoeiro como esta, paciência.

Mas de qualquer maneira, é nesta altura que

o meu esqueleto se indireita, a minha cabeça sobe e os meus olhos se abrem

porque realmente o calor faz as suas maravilhas.

Venha ele!!

23 de Junho – Mais um dia de Aniversário a dobrar.

Mais um ano!

Já lá vão 5 e já lá vão 3, de vidas pequeninas.

5 Anos e 3 da minha vida que nunca mais foi a mesma! Que me dá alegrias e trabalhos, às vezes em igual proporção. Os meus filhos cada vez mais companheiros, mais tagarelas, mais respondões e destemidos. Cada vez mais lindos e engraçados (Eu, suspeita número 1).

Mas a privilegiada sou mesmo eu.

5 Anos e 3, de costas e braços cansados de tantos colos, cabelos em pé de tantas birras e asneiras,  de idas à casa de banho sempre acompanhada, de noites dormidas com um braço ou dois debaixo deles, de comer a comida fria, o café gelado, de nunca conseguir fazer as minhas coisas até ao fim, mas de no fim, olhar para trás e ver que quem lucrou fui eu.

Da companhia deles, dos risos, de acalmar os choros, de acompanhar a sua evolução, as conquistas e o crescimento.

Passa a voar é certo, não consigo perceber para onde foram estes anos, mas uma coisa sei, tenho a certeza que mais não podia ter feito. Que o tempo que tive livre foi na maioria partilhado com eles.

Carinhas de felicidade, abraços sem fim, beijos até perder de vista!

Então, que sortuda sou!

Como este dia se tornou tão especial? O dia 23 e a sua energia mais que positiva!

E se eles nascessem no mesmo dia? Hmmm….

 

Este tempo que passa sem vermos e que passa cada vez mais a correr.

Passam-se dias que nem dá-mos por eles.

É tanta a correria, as coisas todas que fazemos num dia, que eles passam sem os sentirmos.

Até que paramos e dá-mos conta que os nossos filhos cresceram, que deram um pulo gigante. Ficamos a observa-los e a pensar, mas como é que foi que eles ficaram assim?! Estão tão grandes, as coisas que já fazem e já dizem. Como foi que passou o tempo desde a última vez que olhei para eles desta maneira?! O tempo foge.

Paramos e sentimos vontade de parar o tempo também, eternizar aquele momento para não nos esquecemos como cresceram, como desenvolveram, como se estão a tornar meninos cheios de habilidades.

E pensamos que não queremos que o tempo possa voltar a passar tão rápido para não voltarmos a sentir que estamos a perder momentos entre as vezes que paramos a olhar para eles com olhos de ver.

Quem mais sente isto?

Quem sente que quer agarrar o tempo com os dedos e ele escorre por entre eles?

cropped-beautiful-bright-close-up-357501-02-1.jpg

Aromaterapia, as nossas primeiras experiências.

Numa altura em que se procuram cada vez mais soluções naturais, alimentação saudável, compras conscientes e uma preocupação geral relativa ao ambiente, faz sentido este investimento também em soluções mais puras e mais próximas da natureza.

Como referido num artigo anterior estamos no inicio deste novo mundo que é a Aromaterapia e já fez coisas espantosas por aqui.

O Kit que adquiri é o Aromatouch da DoTERRA.  Indicado para a técnica de massagens com o mesmo nome, passa por massagens de relaxamento,  alívio de dores musculares e pode ser usado na reflexologia. Embora não fosse esse o meu objectivo, o Kit tinha 3 coisas que achei fundamental para me iniciar nesta realidade:

  • On guard  – um óleo protector (mistura de Laranja Selvagem, Cravinho, Canela, Eucalipto e Alecrim.)
  • Óleo de Côco Fracionado – Um óleo neutro que a marca chama de carreador, é usado para diluir os óleos quando aplicados em crianças, ou pessoas com pele sensível.
  • Difusor a frio

Além disto traz vários outros Óleos Essenciais, perfeitamente possíveis de usar noutras terapias  – Lavanda, Peppermint, Melaleuca, Aromatouch, Balance, Wild Orange, Deep Blue. Falarei um pouco mais para a frente de cada um.

Vejamos, recebi o Kit e fiquei a olhar para aquilo a pensar  – então agora vou começar por onde? – Mas não foi preciso pensar muito ou esperar. Começa a ameaçar o habitual herpes labial, que normalmente aparece quando estou com as defesas em baixo, gritei:

“Susana, (a minha querida amiga que percebe muito disto) o que ponho no lábio?”

Logo me disse para colocar o Óleo de Melaleuca ou Tea Tree (Conhecido pelos seus efeitos purificantes na pele). E bastou um dia para curar o herpes. O que normalmente me demora uma semana a passar, desapareceu em pouco mais de 24 horas, após várias aplicações tópicas de uma simples gotinha deste óleo.

Hmm… Comecei a entusiasmar-me.

Passados uns dias, a Beatriz começa a ficar quente e a febre sempre a subir. Como se aproximava a hora de dormir, pensei que o melhor seria não a deitar com febre a subir assim. Mas em vez de lhe dar um antipirético resolvi seguir um protocolo que a DoTERRA tem, para baixar a febre em crianças e coloquei alguns óleos essenciais em determinados pontos do corpo para baixar a temperatura.

Não queria exagerar, mas passaram 10 minutos e a febre tinha baixado 1.5 graus. Continuei a verificar varias vezes durante a noite, um pouco por não acreditar totalmente nesta terapêutica, mas a verdade é que a febre não voltou. De manhã voltei a aplicar os vários óleos conforme indicação e assim passou o dia, sem febre, animada e enérgica, como sempre que se encontra bem.

As aplicações dos óleos continuam a ser usadas para as mais variadas situações, coisas mais pequenas que nos surgem no dia-a-dia e a verdade é que em pouco tempo tudo melhora ou acaba por desaparecer. É mesmo incrível!

Aos meus filhos, na continuação da ideia de os proteger e de lhes melhorar as defesas do sistema imunitário, aplico todas as noites o On guard, o meu óleo favorito, para já. Faço-lhes umas massagens na planta dos pés antes de dormirem e agora já são eles que me pedem e me perguntam se não vamos pôr os óleos.

A ideia fabulosa que isto possa substituir a farmácia cá de casa e substituir as frequentes idas ao médico, realmente seduz-me.

E por aí há mais experiências destas? Querem partilhar?

Poderão contactar-me através de mensagem para mais informações Aqui.

Iniciação à Aromaterapia

Há imensa coisa para o qual não nos preparam para a Maternidade, já sabemos, e uma delas é o aparecimento das variadas doenças e mal-estares dos nossos pequeninos.

Claro que há imensos miúdos que nunca ficam doentes. Mas na verdade estou sempre a ouvir Mães a queixarem-se das pequenas doenças dos filhos e nós por aqui também não somos exceção.

Uma das muitas vantagens de ter este blog, é que vou acabando por ter contacto com outras Mães, também bloguers ou não, que acabam por passar muita informação válida, experienciada pelas próprias e pela respetiva família, sobre os mais variados assuntos.

Um deles despertava-me especial atenção, pois era um assunto que me preocupava recorrentemente. Especialmente na altura do frio, volta e meia lá estavam o João e a Beatriz com pingo no nariz, que rapidamente passava a ranho, verde (sim, é mesmo assim), que logo passava a infeção e que num instante os fazia ter febre, tosse, otite, bronquiolite, por aí fora, o que obrigatoriamente nos levava às urgências, às consultas, a ir à farmácia, a ficarem em casa dias, a ter que arranjar quem ficasse com eles ou a faltar e a tomarem medicamentos.

Demos mais vezes do que queríamos antibióticos aos nossos filhos, antipiréticos e anti-inflamatórios nem se fala. Cremes, pomadas, gotas e mais uma infinidade de medicamentos que fomos comprar, obviamente na farmácia. Nem quero imaginar o que isto lhes pode fazer, mas a verdade é que não tínhamos outra solução. Fazemos isto tudo, claro, porque as coisas estão assim definidas, seja pela sociedade, seja pelo senso comum. Mas mais do que aliviar sintomas ou tratar estas doenças eu queria prevenir, pensava mais em como lhes podia reforçar o sistema imunitário, para que não andassem, mês a mês, a correrem para os médicos.

Então e o que faziam estas Mães para aliviar estes sintomas e para que estes cenários não se repetissem constantemente?

Usavam ÓLEOS ESSENCIAIS.

Resolvi pesquisar um pouco mais, perguntar aqui e ali e a certa altura uma amiga explicou-me um pouco mais dos Óleos Essenciais e das suas aplicações, que os usava frequentemente e que lhe tinha resolvido problemas relacionados com alergias, problemas respiratórios etc.

Comecei por comprar um difusor, comprei alguns óleos aqui e ali, mais uns que tinha em casa e comecei a usar. A verdade é que sem apoio e sem grande conhecimento, acabei por começar isto da forma errada. Comprei óleos que não eram biológicos, nem terapêuticos, nem 100% puros. Rapidamente percebi que não os ia conseguir usar para os objectivos que pretendia, nem tirar partido na sua totalidade.

Pouco tempo depois esta minha amiga informou-me que haveria  um Workshop de Aromaterapia no Porto, da marca  – DoTERRA e fui.

Foi essencial este Workshop. Comecei a conhecer um pouco mais os diferentes óleos e as suas excecionais características, os diferentes procedimentos e as infinitas aplicabilidades. Percebi que iria fazer muito mais com eles do que aquilo que me tinha levado ali. Fiquei com a certeza que iria ter acesso a óleos de qualidade, 100% puros, com um elevado grau terapêutico e que iria tirar partido totalmente destes óleos essenciais. 

A Luísa foi impecável na transmissão destes conhecimentos, é uma pessoa muito positiva, totalmente de bem com a vida, que nos transmitiu toda aquela energia que a marca doTERRA pretende transmitir. Saí dali a ter a certeza que tinha  encontrado a solução para os pequenos problemas do dia-a-dia e que muita coisa iria melhorar cá por casa.

Desde:

  • Purificar o ar
  • Acabar com as tosses
  • Curar febres.
  • Melhorar humores
  • Reduzir o stress,
  • Aliviar dores musculares.
  • Purificar o organismo

Até uma infinidade de outras coisas mais.

Inscrevi-me na Doterra, recebi o Kit aromatouch e comecei a aplicar de imediato no nosso dia-a-dia.

Leiam o próximo artigo aqui, para saberem como o experimentamos aqui por casa.

Se quiserem informação mais detalhada é só enviar mensagem por aqui.

 

Dia dos Manitos

Sou a irmã do meio. Foi fundamental para o meu crescimento e evolução a existência dos meus 2 irmãos.

Só os nossos irmãos nos conhecem e nos dizem o que precisamos ouvir, sem se importarem muito se vamos ficar zangados ou felizes, pois no fundo estaremos sempre todos ali.

São eles os primeiros companheiros e os primeiros de muitas brincadeiras. As descobertas são feitas a dois ou a três e os desafios são explorados por todos com as respectivas diferenças e semelhanças. E um vai puxando o outro. 

Eles são os limites pelos quais nos podemos guiar. Mas também são o apoio, o ombro incondicional e a base à qual podemos sempre voltar juntamente com os nossos Pais.

 

Dia dos Irmãos.

Que os meus filhos evoluam juntos se ajudem ao longo da vida. :*

 

amaeeminha-diadosirmãos

Mães

Há as estóicas, as faladoras, as queixinhas, as que varrem tudo à frente, as fortalhaças, as que precisam ainda de crescer, as que já são crescidas, as que sofrem, as que nem ligam, as que dormem muito bem, as que dizem que nunca mais irão dormir.

As que têm “mini mes”, as que tem filhos muito diferentes de si. As que passam as passas do Algarve, as que assobiam para o lado. As que estão em casa e estão bem, as que estão em casa e estão mal, as que têm empregos e queriam estar em casa, as que têm empregos e só querem lá estar.

As que são Mães de muitos filhos, sem os ter. As que não conseguem ser Mães e as que conseguem, mas nunca serão Mães.

As que são positivas e as que só conseguem ver tudo negativo. As descontraídas e as preocupadas, as Mães galinha e as Mães ursa.

As que conseguem dar prioridade a si e as que fazem dos filhos a prioridade da vida. As que deram logo conta do recado e as que vão fazendo por isso.

As malabaristas, as ilusionistas e as cómicas.

As brilhantes e as criativas, as terra-a-terra e as coragem. As boazinhas e as bruxas, as espertinhas e as espertalhaças,

Mães que conheci. As Mães que me ajudam a ser a Mãe que sou!

Feliz dia da Mãe!

by A Mãe é minha! dizem eles 😉

peter-bucks-684017-unsplash.jpg
Photo by Peter Bucks on Unsplash

O corre-corre dos tempos de hoje.

Estamos sempre atrasados e nunca temos tempo para nada. Andamos num corre-corre todo o dia.
De manhã acordamos e já estamos atrasados. Dou por mim a dizer todos os dias:

“Vamos lá rápido, já é tarde estamos atrasados!”

As crianças nem percebem bem porquê. Entregamo-los a correr e vamos a voar para os empregos, porque já estamos atrasados. Fazemos tudo a correr porque há sempre imenso que fazer, porque é claro, já estamos atrasados. Já devíamos ter feito isto e aquilo, entregue isto e aqueloutro.

Vamos almoçar rápido porque queremos fazer mais 2/3 coisas naquela 1 hora minúscula. E voltamos a correr!

Ao fim do dia voamos mais uma vez para ir busca-los e mais uma vez (sentimos que) estamos novamente atrasados para os ir buscar. Chegamos a casa e o corre-corre não acaba. Entre fazer jantar, as tarefas e as brincadeiras é “mais uma vida” e de novo a sensação que já devíamos ter feito mais coisas e o jantar vai atrasar.

O jantar prolonga-se mais um pouco, mas chega a uma altura e de novo apressamos a final do jantar porque depois começa a ser tarde.
Hora de ir dormir e de novo o:

“Vá, vamos rápido que já é tarde!”

Infelizmente na nossa cabeça, isto já soa normal. Não paramos para pensar nisto, acho que até já o fazemos sem necessidade e mais por hábito, pela cultura que se criou, pela sociedade que já é assim, sempre com pressa e aflita.

Mas isto na cabeça das crianças, que não têm relógio, que não sabem o que é isto do tempo, nem dos atrasos, sim porque o contrário de atrasado, é adiantado e ninguém fala do adianto. Na cabeça deles a única coisa que ainda conseguem fazer alguma relação temporal é com: Está dia, está noite, ainda está sol ou o sol já foi embora. E como isso até vai variando ao longo do ano, ainda é mais confuso.

E a ideia, incompreensível para eles, que lhes passamos é a de que estamos atrasados.
Estamos sempre atrasados.

andy-beales-53407-unsplash
Photo by Andy Beales on Unsplash