As férias nunca mais serão as mesmas!!

Estamos de férias já há uma semana.

E nada como só fazer o que queremos!

… como queremos, é como quem diz, porque já sabemos com filhos é basicamente como eles querem.

A verdade é que vou fazendo comparações entre os últimos anos em que estivemos de férias e não tendo nada a ver como quando estávamos só dois por nossa conta, também nada tem a ver de uns anos para os outros de férias a 3 e depois a 4.

Se no início tudo girava mesmo à volta dos horários das mamadas, das trocas das fraldas e dos sonos, e se mal tínhamos tempo para nos deitarmos 5 segundos na toalha (continuamos sem ter) a verdade é que há medida que eles vão crescendo vamos conseguindo conciliar já um pouco mais das nossas (dos pais e das mães) rotinas e vontades.

É delicioso ter bebés, vou ter imensas saudades desses tempos, mas digam o que disserem, e tudo depende de como somos e de que tipo de meninos temos, mas os anos vão passando e já ganhamos um pouquinho mais de tempo e espaço pra nós. Não fazemos exactamente o que queremos, mas vamos conseguindo fazer algumas das coisas que julgávamos perdidas. E conseguimos conciliar isso com tudo o resto. O que é muito bom! Andamos todos mais satisfeitos e felizes. Sentimos novamente que fizemos um pouco mais pelo Eu e menos pelo Nós.

Eles não estão totalmente autônomos, nem pouco mais ou menos, mas cada vez mais nos libertam das tarefas que envolviam uma presença constante e um controle mais apertado.

E com isto termino dizendo, que finalmente, FINALMENTE, estou a conseguir um bronzeado que se veja!

E se as férias nunca mais serão as mesmas só posso dizer que ainda bem! É que cada vez são melhores!!!

Desafio quem não fez desaparecer pelo menos uma destas coisas.

Desafio quem nunca fez desaparecer pelo menos uma destas coisas aos vossos filhos após o Natal:

1-Doces
2-Brinquedos
3-Chocolates

Enquanto têm a memória curtinha das coisas, há que aproveitar, depois pode já não ser bem assim.

Por aqui guardámos alguns brinquedos, escondemos alguns doces de Natal e confiscámos grande parte dos chocolates.

Eu sei que no fundo eles nos vão desculpar.

 

 

Foi assim o dia de Natal – vivido ao máximo!

Este Natal foi vivido ao máximo!

Depois de:

Reunião de família; Almoço de Natal; Muitos Presentes e muito Carinho!

Bons momentos e risadas puras em brincadeiras com “neve”!  E de repente, parecia que estávamos mesmo no meio da Neve.

Ida à Vila Natal em Óbidos:

Volta na Roda Gigante; no Carrossel, na Rena e no Trenó;

Teatro com Marionetes; Conversa na Casinha com o Pai Natal;

Lanche de Gaufre com chocolate;

Passeio de burro; Passeio de pónei; Saltos no trampolim, Ufa!

Assim foi o nosso dia de Natal, em cheio!!

Os meninos não podiam estar mais satisfeitos.

Obrigada de coração a todos!

O que fazer nas férias de Natal?Actividades em Serralves

Foi aqui que deixamos o João esta semana. Não o quisemos colocar na escola sem as actividades normais, então tivemos que arranjar alternativa.

Já tínhamos ouvido falar muito bem das Oficinas de férias de Serralves, então esta pareceu-nos uma boa opção.

E não desiludiu.

Claro que ele não fala de tudo o que lá faz, mas quando vai e quando vem, está tão bem disposto e alegre que concluímos que ficou bem e divertiu-se! E é o que realmente importa.

Penso que a actividade que mais gostou foi a da tarde – Natal cozinheiro. Fez e provou vários doces relacionados com a época natalícia. Todo entusiasmado chegava a casa e explicava o que tinha cada um e fazia questão que provássemos.

A actividade da manhã chamava-se Cor-a-cor e a ideia era todos os dias procurar no Parque objectos com determinada cor, fazer uma composição cromática e a seguir fotografar. Até eu gostava de ter participado.

Só temos que agradecer às orientadoras, muito simpáticas e dedicadas e à organização.

Agora é hora de ficarmos todos juntinhos e irmos de férias!

Bom Natal!!!

Agora é que é! Quando voltam de férias não pensam sempre em reorganizar tudo?

abstract-blur-business-334979
Photo by Rene Asmussen from Pexels

 

Quando regressamos de férias, regressamos cheios de força, de ideias e de vontades, verdade?

Como excelentes “Donas de Casa”* vimos cheias de vontade de reorganizar tudo para que a casa fique mais prática.

De fazer um restyling à casa para estar de acordo com o nosso olhar mais descomplicado e leve.

De preparar o regresso à escola e o regresso ao trabalho para que o dia-a-dia se torne mais simples.

De fazer alimentação mais saudável e de ter em casa alimentos mais saudáveis. Fazemos promessas internas de que agora é que vamos fazer tudo direitinho.

Certo?!?

Faz tudo parte do processo que é sair, fazer coisas diferentes, viver outras experiências e depois voltar renovados e com outros “olhos”.

Mas a verdade é que ao fim de algum tempo a maior parte das coisas fica pelo caminho.

Algumas ainda podem durar umas semanas. Mas depois tudo volta ao dia-a-dia rotineiro, apressado e sem tempo.

Ainda nos vamos lembrando, mas achamos que no dia a seguir é que é. Amanhã vamos fazer isso tudo, com certeza!

Bom, na verdade há algumas coisas que ainda vou tentando fazer e conseguindo, mas para isso tenho alguma “ajuda”:

  1. Faço listas simples só com pontos tipo “checklist”
  2. Tento que estas listas sejam sobre coisas tangíveis, ou seja projetos ou objetivos que sejam possíveis de concretizar. Caso contrário é só para criar frustração.
  3. Coloco-as sempre num lugar bem visívele de fácil acesso, seja para visualizar pelo menos uma vez ao dia. E claro, sempre que aconteça, marcar como FEITO! (Sugiro a porta do frigorífico).
  4. Quando consigo fazer alguma das coisas, evidencio o que já consegui, nem que seja só uma coisa pequena. Ver os projetos/ideias concretizadas, dá-nos motivação para mais. Para seguir em frente. Afinal estamos a avançar e ficamos com a sensação de que somos capazes.
  5. Quando vejo que de facto não vou conseguir fazer alguma das coisas, retiro e substituo por outra coisa mais simples e de rápida concretização. Não vale a pena ter um projeto ou ideia que ao final de um ano não se concretizou. Mais vale desistir ou reformular o objetivo.

 

Por falar em Porta do frigorífico, outra coisa que também me ajuda e tenho na porta do frigorífico, é um Calendário Mensal.

Este pode ser tirado da Internet e impresso. Também o podem fazer usando uma folha branca e desenhando-o. Mais trabalho, mas fica mesmo à vossa maneira.

Coloco lá todo o tipo de coisas que preciso fazer e lembrar nesse mês, sejam relacionadas com a casa ou mesmo os outros “membros da família”. As férias, os feriados, as consultas, compras, etc.  E pronto, quando não consigo concretizar naquele mês, transfiro para o Calendário do mês seguinte e por aí fora.

Aí podem entrar também os objetivos maiores. Aqueles que achamos que não nos esquecemos porque queremos muito, mas que também são aqueles que mais depressa perdem a força e a pertinência. Para mim, visualizá-los todos os dias ajuda muito.

rawpixel-633847-unsplash-amaeeminha

Bom regresso e bons planos!

Depois digam-me se funcionou para vocês.

 

 

 

* “Donas de Casa” –  não encontrei expressão melhor, mas tenho que ser sincera, não me identifico nada nem com “Dona” nem com “Dona da casa”…. Mandem sugestões que atualizo o post! Obrigada

 

 

 

 

Não é incrível como eles crescem tão rápido? Nem dá para acreditar.

Às vezes parece mesmo que crescem muito mais depressa do que estamos à espera.

Não sentem que de repente eles dão um salto enorme? Que começam a falar imenso do nada? Constroem frases que nunca os tínhamos ouvido dizer? Que fazem raciocínios mais complexos e que nos deixam de boca aberta quando olhamos para a idade deles?

Estamos de férias e talvez por estarmos todos juntos, todo o dia, nos parece que falam mais. Têm mais vocabulário e querem comunicar cada vez mais.

De repente damos por nós a mudar também a forma como falamos com eles, pois as exigências já são outras e temos que acompanhar.

O João acorda ás SETE!! Férias ou não férias. Dia de infantário ou fim-de-semana. Páscoa ou Natal.

Tem um despertador interno infalível que lá por volta das 7 hr – às vezes menos – o acorda sem falhar. A ele e a todos nós!

E o pior, é que não acorda devagarinho. Acorda e começa a falar de tudo o que se lembra. Das coisas do dia anterior, do que vai fazer nesse dia, do que vai comer… Para além dos raciocínios que já faz, fala tudo muito direitinho. Faz pausas para pensar no que quer dizer e quase que soletra para que lhe saia tudo certinho. Apesar de o corrigimos em algumas coisas não lhe exigimos que o faça. É ele próprio que se esforça e quer sempre falar bem, usando todas as palavras que vai aprendendo.

Isto tudo é muito giro, mas às 7 horas da manhã e de férias está tudo ainda muito lento e ensonado para dar as devidas respostas a tantas questões e ideias.

De rir, é que agora mete-se a ensinar a irmã. Já a percebe muito bem e às vezes quando não a percebemos nós, ele traduz! Repete algumas palavras muito devagarinho para que ela as aprenda e consiga dizer. Imaginem dois pequenitos de 2 e 4 anos a conversarem e a corrigirem-se.

Só podemos ficar babados e bastante orgulhosos dos nossos papagaiozitos!!

 

 

 

 

 

 

 

 

Acessórios e “vaidosices” na Praia (e não só)

Pulseiracavalomarinho-amaeeminhablog

Eu adoro acessórios? Mais alguém?

Não faço questão de usar joias, até porque as que gosto normalmente são caras. E não me importo nada de usar bijuterias, logo que tenham cor ou brilho que eu goste. Também não gosto de tudo, mas a verdade é que para mim bijuterias está  bom.

Duram o que duram e depois substituem-se.

E quem é que em época de praia não gosta de usar uma pulseira no pé?

Pois hoje foi dia de irmos às compras também para a Princesa da casa.

Cor-de-rosa, está claro, e com um belo Cavalo Marinho! Janota, hein?

 

FullSizeRender (1)

E assim ficou toda feliz e vaidosa, com algo que embeleza ainda mais o seu pé fofinho.

Repete a quem mostra, que é um “caballo-maínho“.

 

Hoje em dia não faltam opções de onde comprar acessórios para as crianças e mesmo bebés. Há que pensar sempre na segurança, claro. Mas existem coisas muito giras que tornam os pequenos ainda mais engraçados e assim quase que meio crescidos, mesmo como eles gostam.

Ou então podemos sempre fazer nós, não? Juntarmo-nos com os pequenotes e fazer umas coisas engraçadas? Acho que eles ainda gostam mais.

Fica a ideia.