All posts filed under: Blog

Filhos diferentes de Nós.

Uma das coisas que mais me dá gozo na Maternidade e que fico muitas vezes a pensar, é como os meus filhos são tão diferentes de mim. Como é que dois seres que saíram de mim, são tão pouco parecidos comigo? Não digo fisicamente, isso eu sei que muda, que nascem igual ao Pai por causa da protecção da espécie, depois mudam e umas vezes saem à mãe, outras à tia, ao tio, tem os olhos da avó o queixo do avô. Há em geral nas famílias, pequenas discussões entre os diversos familiares, sobre a que lado saiu mais a criança e esta acaba “desmembrada” porque dizem que a parte de cima da cara é do pai, a de baixo da mãe, as pernas são as da avó e o cabelo é igualzinho ao da tia-avó do lado do pai do primo. Então e o feitio?! Claro que obviamente haverá semelhanças e que existem as comparações sobre que feitiosinho é aquele?! Bom, é disso que falo. Falo da sua maneira de estar e de ser …

E o Blog – A Mãe é Minha! já tem 1 ano.

Faz hoje 1 ano que lancei o Blog, apesar de já andar a preparar tudo desde Agosto desse ano. Fui de férias e pensei: “Tenho que fazer alguma coisa diferente, tenho que inventar alguma coisa para sair do que faço sempre, do que me sinto confortável em fazer.” E assim foi.  Escrevi, escrevi, pesquisei, preparei e ao fim de algum tempo já tinha material com algum interesse para sair cá para fora, mesmo que isso fosse ou não, importante para todos. Mas para alguém seria, para alguém, nem que fosse uma pessoa iria fazer sentido. E aqui estou , 82 artigos no Blog. mais de 124 publicações no Instagram e 516 seguidores. mais umas tantas publicações no Facebook e 751 pessoas que gostaram da página. Para mim é brutal! É olhar para trás e perceber que as coisas têm que se fazer. Pode dar certo, ou não, mas, fazer, ir, sair, tem grande probabilidade de acontecerem coisas boas e aconteceu e isso é mesmo BRUTAL! :)) Depois foi só começar e replicar o que já …

Quem era a mulher que tomava conta dos meus filhos?

Quem era aquela mulher que sem saber nada, ficava a tomar conta de um bebé? Quem era aquela recente mãe a quem atribuíam a tarefa de deixar um bebé ao seu cargo, sem experiência, sem testemunhos, só porque era a mãe? Quem era aquela mulher que dia após dia ia conhecendo o seu filho, mas que insegura ia passando uma noite a seguir a um dia, sem saber muito bem se seria capaz de voltar a fazer tudo no dia a seguir? Quem era aquela mulher que não parava de pensar se tudo o que fazia, fazia bem?Que pensava se o seu bebé ia crescer bem e ia desenvolver bem com o que ela lhe ia fazendo? Quem era aquela mulher que naquela altura ficava a olhar tempos infinitos para aquele bebé e incrédula, dava por si a pensar se realmente aquilo tinha vindo dela, se não estaria a sonhar por tamanho feito e beleza e que era impossível ter sido criado por ela? Não é fácil, não é mágico, nem nascemos ensinadas e o …

E venha de lá o Verão!!!

Estamos na minha estação preferida – o Verão! A Primavera tambem é gira, o Outono tem a sua graça, mas é no Verão que um escorpião – água com ascendência em caranguejo também àgua – se sente bem. Claro que vivendo na cidade do Porto temos mais manhãs frias e de nevoeiro como esta, paciência. Mas de qualquer maneira, é nesta altura que o meu esqueleto se indireita, a minha cabeça sobe e os meus olhos se abrem porque realmente o calor faz as suas maravilhas. Venha ele!!

Este tempo que passa sem vermos e que passa cada vez mais a correr.

Passam-se dias que nem dá-mos por eles. É tanta a correria, as coisas todas que fazemos num dia, que eles passam sem os sentirmos. Até que paramos e dá-mos conta que os nossos filhos cresceram, que deram um pulo gigante. Ficamos a observa-los e a pensar, mas como é que foi que eles ficaram assim?! Estão tão grandes, as coisas que já fazem e já dizem. Como foi que passou o tempo desde a última vez que olhei para eles desta maneira?! O tempo foge. Paramos e sentimos vontade de parar o tempo também, eternizar aquele momento para não nos esquecemos como cresceram, como desenvolveram, como se estão a tornar meninos cheios de habilidades. E pensamos que não queremos que o tempo possa voltar a passar tão rápido para não voltarmos a sentir que estamos a perder momentos entre as vezes que paramos a olhar para eles com olhos de ver. Quem mais sente isto? Quem sente que quer agarrar o tempo com os dedos e ele escorre por entre eles?

https://clearhealthinn.com/doterra-essential-oils/

Iniciação à Aromaterapia

Há imensa coisa para o qual não nos preparam para a Maternidade, já sabemos, e uma delas é o aparecimento das variadas doenças e mal-estares dos nossos pequeninos. Claro que há imensos miúdos que nunca ficam doentes. Mas na verdade estou sempre a ouvir Mães a queixarem-se das pequenas doenças dos filhos e nós por aqui também não somos exceção. Uma das muitas vantagens de ter este blog, é que vou acabando por ter contacto com outras Mães, também bloguers ou não, que acabam por passar muita informação válida, experienciada pelas próprias e pela respetiva família, sobre os mais variados assuntos. Um deles despertava-me especial atenção, pois era um assunto que me preocupava recorrentemente. Especialmente na altura do frio, volta e meia lá estavam o João e a Beatriz com pingo no nariz, que rapidamente passava a ranho, verde (sim, é mesmo assim), que logo passava a infeção e que num instante os fazia ter febre, tosse, otite, bronquiolite, por aí fora, o que obrigatoriamente nos levava às urgências, às consultas, a ir à farmácia, …

Dia dos Manitos

Sou a irmã do meio. Foi fundamental para o meu crescimento e evolução a existência dos meus 2 irmãos. Só os nossos irmãos nos conhecem e nos dizem o que precisamos ouvir, sem se importarem muito se vamos ficar zangados ou felizes, pois no fundo estaremos sempre todos ali. São eles os primeiros companheiros e os primeiros de muitas brincadeiras. As descobertas são feitas a dois ou a três e os desafios são explorados por todos com as respectivas diferenças e semelhanças. E um vai puxando o outro.  Eles são os limites pelos quais nos podemos guiar. Mas também são o apoio, o ombro incondicional e a base à qual podemos sempre voltar juntamente com os nossos Pais.   Dia dos Irmãos. Que os meus filhos evoluam juntos se ajudem ao longo da vida. :*  

Mães

Há as estóicas, as faladoras, as queixinhas, as que varrem tudo à frente, as fortalhaças, as que precisam ainda de crescer, as que já são crescidas, as que sofrem, as que nem ligam, as que dormem muito bem, as que dizem que nunca mais irão dormir. As que têm “mini mes”, as que tem filhos muito diferentes de si. As que passam as passas do Algarve, as que assobiam para o lado. As que estão em casa e estão bem, as que estão em casa e estão mal, as que têm empregos e queriam estar em casa, as que têm empregos e só querem lá estar. As que são Mães de muitos filhos, sem os ter. As que não conseguem ser Mães e as que conseguem, mas nunca serão Mães. As que são positivas e as que só conseguem ver tudo negativo. As descontraídas e as preocupadas, as Mães galinha e as Mães ursa. As que conseguem dar prioridade a si e as que fazem dos filhos a prioridade da vida. As que deram logo …

Coisas dos últimos tempos

Depois de alguns dias, ausentes cá estamos. As ausências não se devem a falta de atividades ou afazeres, antes pelo contrário. Na verdade não tenho conseguido arranjar aquele tempinho extra e energia necessária para vir aqui, mas aqui fica um pouco do que temos feito. A Páscoa já passou e foi para aproveitar os 4 dias e ir em direção a sul onde estão os outros avós e restante família. Momentos sempre muito alegres e bem passados que deixam os pequenitos cheios de saudades quando temos que nos vir embora. Houve passeios, andaram no Carrossel da Praça principal de Cascais, muito giro, visitem (ver foto). Faz as delícias dos pequeninos, e dos pais que tem que ir segurar os miúdos para não caírem, como eu. Lambuzaram-se no gelado da mítica Santini, foram ao cinema ver o Mr. Link (eu adorei!). Tiveram mais umas “Caça ao Ovo”, que resultam sempre em barrigadas a mais de chocolate e bigodes a condizer. Mas faz parte e divertem toda a gente! Depois, menos bom, semana de meninos doentes, duas …

Quanto não vale viver em Portugal?

Quando começo a vestir só duas peças de roupa para sair de casa, sinto-me logo melhor. De facto somos uns sortudos, que chega a Março, às vezes mesmo em Fevereiro, já temos dias de sol radioso e temperaturas mesmo agradáveis. O peso da roupa sai e o “peso” dos dias também. Acordamos de manhã, é já dia e o sol já vai alto. Vestimos então, roupa mais leve e as peças mais coloridas saem dos cabides. Também pensamos logo em como vai ser o dia dos nossos filhos e pensamos que se não lhes vestirmos peças mais leves, vão transpirar e nem vão dar conta disso e depois apanham frio e ficam doentes (isto para quem tem filhos que volta e meia ficam constipados e ranhosos). Então, lá vestimos as peças em camadas, para que esperando que eles ou alguém, vão tirando ou colocando como precisarem. Sabe tão bem sair de casa e sentir uma brisa fresca, voltar a sentir o sol a aquecer depois dos meses frios de Inverno. Todo o ar se torna …