O que nos vai afectar não dormirmos?

amaeeminhablog-privação-do-sono
Photo by David Clode on Unsplash

Os meus bebés nunca dormiram a noite toda seguida. Desde bebés que acordavam 3-4 vezes durante a noite. Ainda hoje em dia eles acordam a meio da noite várias vezes por semana.

E o que nos fazem tantas noite e noites em claro, sonos interrompidos?

Tarefas e cuidados noturnos que pesam de dia. Porque de dia não há compensação para as horas perdidas de sono.

A clareza de espírito e mesmo as capacidades mentais ficam muiiito afetadas. Raciocínios básicos, coisas óbvias, soluções simples que não se conseguem ter. Até as memórias das coisas simples se vão.

Em casa, nem sequer nos lembramos do lugar das coisas. Não se finalizam as tarefas. Começamos a fazer uma coisa, aquelas coisas que nós fazemos encadeando tarefas umas nas outras para “fazer mais coisas em menos tempo”, mas ficamos a meio, pois já não temos a mais pequena ideia sequer do que íamos fazer a seguir.

Muitas vezes encontramos coisas em sítios completamente inesperados.

E pensamos, “… mas como é que isto veio aqui parar?” Imaginem uma peça de roupa no lixo ou a carteira no frigorifico… até queremos culpar alguém…  mas a maior parte das vezes fomos… nós. Nós mesmas!!

No trabalho, é difícil manter a concentração. Por vezes não conseguimos arranjar soluções imediatas para os problemas que vão surgindo. Ou simplesmente não conseguimos sequer responder a perguntas que impliquem recorrer à memoria recente.

Mas é suposto continuar a fazer tudo igual. Ninguém “perdoa”. Ninguém – que não passe por isto – percebe ou poderia perceber.

Confesso que vivi alguns momentos de pânico e até de tristeza. Hoje consigo olhar para trás e ver que foi apenas passageiro. Afinal não fiquei assim para sempre, como às vezes cheguei a temer.

São alturas complicadas. Somos postas em causa, até por nós mesmas.

As pessoas dizem que até entendem , mas não, no fundo não entendem nada.
Dá um trabalho danado metermo-nos no lugar do outro. E mesmo com esforço a verdade é que sem passar pelas coisas não dá sequer para começar a perceber.

Normalmente temos pouca paciência para quem não tem um determinado grau de inteligência, não é?  Ou, como neste caso, para quem está “mentalmente debilitado” como às vezes é o caso, verdade?

Mas não devia ser assim.

E as vezes até nos dão a “solução” : ir para casa descansar ou tomar alguma coisa que nos ajude… limpinho!

Não… infelizmente não ia resolver, só ia adiar.

Talvez um dia se arranjem formas melhores de ajudar as pessoas como elas realmente precisam:
Com paciência, compreensão e já agora, às Mães, com uma ajudinha nas tarefas.

E não, as crianças não são iguais. Nem as Mães, nem os Pais. E ainda bem!

 

Recuperar das noites não dormidas.

 

 

Anúncios