Month: Agosto 2018

Olha o Menino e… a Menina!

Sempre gostei de simetrias. De coisas que encaixam. Que ninguém ficasse só. Que tivesse o seu par para estar completo. Só assim me parecia perfeito. Para mim ter um Menino foi uma grande surpresa, pois apesar de eu não pensar muito sobre isso, lá no fundo achava que ia ter uma Menina. Quando soube que era um Menino senti que ia aprender ainda mais. Que isso me faria crescer e evoluir como pessoa. Que iríamos ser os melhores amigos e que eu o ajudaria a tornar-se num bom ser humano. Num bom homem! Quando soube da Menina, foi como o fechar de um processo. Perfeito. A menina que sempre lá no fundo achei que viria para mim. De alguma forma, era o meu eu, nela. Então tinha O PAR. A PERFEIÇÃO! Ter o Menino e a Menina para mim foi o máximo! O Azul e o Rosa. O Masculino e o Feminino. A Força e a Delicadeza. Imagino muitas vezes as experiências que vou poder ter com um e com o outro. Vou gostar de viver as diferenças …

Não é incrível como eles crescem tão rápido? Nem dá para acreditar.

Às vezes parece mesmo que crescem muito mais depressa do que estamos à espera. Não sentem que de repente eles dão um salto enorme? Que começam a falar imenso do nada? Constroem frases que nunca os tínhamos ouvido dizer? Que fazem raciocínios mais complexos e que nos deixam de boca aberta quando olhamos para a idade deles? Estamos de férias e talvez por estarmos todos juntos, todo o dia, nos parece que falam mais. Têm mais vocabulário e querem comunicar cada vez mais. De repente damos por nós a mudar também a forma como falamos com eles, pois as exigências já são outras e temos que acompanhar. O João acorda ás SETE!! Férias ou não férias. Dia de infantário ou fim-de-semana. Páscoa ou Natal. Tem um despertador interno infalível que lá por volta das 7 hr – às vezes menos – o acorda sem falhar. A ele e a todos nós! E o pior, é que não acorda devagarinho. Acorda e começa a falar de tudo o que se lembra. Das coisas do dia anterior, …

E se eles nascessem no mesmo dia? Hmmm….

Os meus pequenitos têm 2 anos exatos de diferença. Quis o destino e a ciência (nasceram de cesariana) que nascessem no mesmo dia! Foram concebidos com 2 anos menos 1 semana de diferença. Pontaria! Nada programado, a não ser que os queríamos. E assim aconteceu! O João nasceu com 39 semanas certas no dia 23 de Junho de 2014. Quis o destino também, que como mora no Porto, tenha festa rija no dia e na noite de aniversário. Nasceu na véspera de S. João Quanto à Beatriz, estava previsto nascer no dia 23 de Junho, dia dos 2 anos do irmão. Quando fizemos a primeira ecografia nem queríamos acreditar que as 40 semanas davam exatamente nesse dia memorável. Mas lá estava, certinho! Então às 40 semanas menos 1 dia, como não se podia esperar mais, e de acordo com o Médico que nos seguia, decidimos que iria nascer no dia a seguir, dia de anos do irmão, dia 23 de Junho de 2016. Pobre João que viu os 2 anos dele serem “abarbatados” por uma irmã …

As saudades que eu já tenho… da minha Bebé!

Ainda bem que ainda tenho uma Bebé! Ainda bem que ainda usa chucha e fralda. Ainda bem que ainda dorme no berço e onde adormece melhor ainda é aconchegada em mim. Ainda bem que ainda quer um colinho e deita a cabecinha no meu ombro para se restabelecer ou simplesmente descansar. Mas a falta que me vai fazer… Vai passar a correr e daqui a pouco estão os dois crescidos. Tanto nos pedem colo ou mimo, como a seguir saem disparados a correr para alguma coisa mais interessante… é assim. Falta pouco, e vão dar muitas e muitas saudades estas “bebézices”… Não devia ser permitido derreterem os pobres corações de Mães com bebés macios, fofos e lindos, para depois aos poucos eles começarem a acordar de manhã cada vez mais meninos, mais crescidos e mais independentes. Tudo isso é especial também. Eles crescem e vamos descobrindo as pessoas que já vão sendo. Existem uma data de coisas ótimas com o adeus à dependência. Há menos dores nas costas e noites melhores dormidas, já para começar, …

Acessórios e “vaidosices” na Praia (e não só)

Eu adoro acessórios? Mais alguém? Não faço questão de usar joias, até porque as que gosto normalmente são caras. E não me importo nada de usar bijuterias, logo que tenham cor ou brilho que eu goste. Também não gosto de tudo, mas a verdade é que para mim bijuterias está  bom. Duram o que duram e depois substituem-se. E quem é que em época de praia não gosta de usar uma pulseira no pé? Pois hoje foi dia de irmos às compras também para a Princesa da casa. Cor-de-rosa, está claro, e com um belo Cavalo Marinho! Janota, hein?   E assim ficou toda feliz e vaidosa, com algo que embeleza ainda mais o seu pé fofinho. Repete a quem mostra, que é um “caballo-maínho“.   Hoje em dia não faltam opções de onde comprar acessórios para as crianças e mesmo bebés. Há que pensar sempre na segurança, claro. Mas existem coisas muito giras que tornam os pequenos ainda mais engraçados e assim quase que meio crescidos, mesmo como eles gostam. Ou então podemos sempre fazer nós, não? Juntarmo-nos com …

Mãe de dois com idades muito próximas.

Mãe de dois rebentos com idades muito próximas.  Já me perguntaram se é melhor assim. Juntinhos e com pouca diferença de idades. Ou seria melhor com mais tempo de diferença entre eles? De certeza que não há nenhuma receita, fórmula, ou ideal em nada disto. Bem sabemos. Como em quase tudo existem vantagens e desvantagens. Por isso há que saber lidar com cada uma e se assim foi, foi porque era assim que tinha de ser. Mas olhando para trás, reconheço que é preciso uma certa dose de coragem (ou inexperiência). É engraçado que parece que vejo cada vez mais filhotes próximos em idade e por isso ainda andam por aí muitos corajosos. Se por um lado deixamos de conseguir estar tão dedicados a cada um, estando eles em fases tão importantes dos seus primeiros anos de vida, por outro a coisa fica despachada em relativamente pouco tempo. Com a vinda da Beatriz, o João ainda pequenino, muitas vezes teve que esperar e ficar para “segundo plano”. Ainda me custa quando penso nisso. Mas é verdade. …

Ser Mãe depois dos 40

Sabia que não queria ser Mãe cedo. Antes de o ser, queria ainda fazer muitas coisas! Mas se me tivessem dito que ia ser mãe depois dos 40, teria dito que era um grande disparate.   Pois bem, assim foi. Como dizem que o Universo não reconhece o NÃO, quando eu disse: “Não vou ser Mãe aos 40!”,  ele não só ouviu,  como me fez a vontade e fez-me Mãe aos 40, e aos 42! E no mesmo dia do ano… Obrigada Uni!! Na verdade o tempo foi simplesmente passando. A ideia de que somos eternamente jovens prevaleceu e de repente a questão maternidade surgiu. Claro que, aproximando-se do 40 anos a “risquinha” no teste não aparece com essa facilidade toda. Lá fomos esperando, mas nem sempre com calma, confesso. Não são tudo maravilhas. Por ordem natural das coisas, as mulheres deverão ser Mães um pouco mais cedo. Há que ponderar muitos fatores quando se pensa neste assunto. Nem tudo depende de nós, nem simplesmente das nossas vontades. Há quem tenha sorte e avance diretamente …

O que eu aprendi com a Maternidade?

Se há uma coisa que nos transforma realmente é a Maternidade/Paternidade. Até lá temos pequenas ideias do que possa vir a ser, mas só passando e só vivendo é que se pode dizer alguma coisa sobre o assunto. E mesmo assim não dá para definir numa só coisa. O que somos, deixamos de ser. Para onde vamos, deixamos de ir. O que aprendemos, desaprendemos e aprendemos novas coisas. Adquirimos novos conceitos e formas de estar e largamos outras tantas. Deixamos de ser “nós os dois” e passamos a ser “nós os três” ou quatro. Muda tudo, a direcção e o foco, as crenças e as verdades. Tudo é redireccionado e toma um novo rumo. Novos sonhos, novas promessas, novos objectivos, novos medos, novas responsabilidades. Criar uma família é: reinventar-se todos os dias alterar-se todos os dias com novas aprendizagens de todos e novas aptidões adquiridas, ter um guião novo todos os dias que tem de ser improvisado sem tempo para decorar ou fazer até sentido do que se está a pensar estar numa nova realidade. Adaptamos. E …